quarta-feira, 8 de abril de 2015

Caindo aos pedaços




CAINDO AOS PEDAÇOS
(Caminho do meio, equilíbrio e harmonia)




Tal como acontece com o mar, as estrelas, o sol e a lua, o amor está se derramando através de você, lavando tudo o que já é dispensável ao seu processo, preparando-o para o que está por vir. Mas o que se aproxima é sempre desconhecido, talvez um pouco assustador, e não pode ser entendido antes que chegue sua hora.
 Olhe com atenção para este processo e perceba que você nunca realmente se desintegra, porque você nunca esteve compactado. Você é o infinito vazio sagrado em que "o todo" e "as partes" dançam em harmonia muito além do que chamamos tempo e espaço.
 Se você ficar muito identificado com a sensação de cair aos pedaços, você perde contato com a sabedoria interna que transcende a experiência pela qual está passando. Você esquece o quão inteligente e criativo é este universo que está se experimentando através de você, e que nunca se desintegra ou se fixa, mas que dança.
 Se você enrijecer, a dança não acontece. A energia cósmica que tende à evolução vai passar por você de uma forma ou de outra, e você sentirá esta sensação de estar se quebrando.
 O segredo é manter-se no centro, entre o desmoronar e o integrar. Fique aí. Pois é lá onde a luz e as trevas estão em união, onde o caos e a ordem se beijam. Ali é onde a lagarta vira borboleta e toda transformação acontece.