sábado, 24 de outubro de 2015

Tao Te Ching - Deveres e Direitos




Que adianta extinguir grandes ódios, quando ficam ressentimentos?
Como remediar isto?
Cumpre teu dever e esquece teus direitos.
Quem se guia pela voz da consciência só atende a voz do dever e não insiste em seus direitos.
Os poderes eternos não tem favoritos, mas favorecem sempre os bons.




Explicação filosófica

O direito é sinônimo de egoísmo – o dever é sinônimo de amor. Enquanto o homem insiste em seus direitos, tudo está torto mas, quando renuncia a seus direitos, tudo se endireita.

No frontispício do Fórum de Santa Maria - RS, acham-se quatro palavras em latim: SUMMUM IUS - SUMMA INIURIA, que querem dizer: O SUMO DIREITO É A SUMA INJUSTIÇA.

São palavras de um código do Império Romano, que já conheceu e proclamou que o direito é o contrário da justiça.

Nesse sentido disse o Evangelho: “Por Moises foi dada a lei, (o direito) – pelo Cristo veio a verdade, veio a graça, (a justiça)”.

A sociedade humana é regida pelo direito – mas a consciência obedece a justiça.

Por isso o sábio dá mais importância aos seus deveres do que aos seus direitos, obedece mais os ditames do seu Eu divino do que a política do seu ego humano.


Trecho extraído do livro – Tao Te Ching – Poema 79