segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Pensamento, Atitude, Comportamento e Ação





Todos nós vivemos imersos no campo mental que emitimos. A onda do pensamento surge na emoção e no sentimento, assume a consciência e se espalha pela atmosfera psíquica levando consigo as emanações das emoções e dos sentimentos cultivados.

Todos nós estamos atraindo ou criando permanentemente as realidades com as quais temos que lidar depois, a partir dos nossos pensamentos. O pensamento, organizado em ideia, pela imaginação, flutua na mente com forma e vida estruturando-se em matéria mental, ou forma pensamento, o elemental que gera atitude e comportamento movendo ação, construtiva ou destrutiva, em concordância com a qualidade da emoção e do sentimento envolvidos.

Pensar é criar! O pensamento brota na emoção e no sentimento. A matéria física se estrutura a partir da sequência de pensamento, imaginação, ideia, atitude, comportamento e ação. Assim o projeto arquitetônico se materializa na obra construída.

A imaginação atrai para a ideia organizada os elementos que a transformarão em evento, por sintonia no campo mental, com as frequências dos pensamentos congêneres dos interessados no mesmo evento, com os elementais, conspirando para a sua materialização física.

Assim são atraídos todos os eventos na vida – relacionamentos, saúde ou doença, os micro-organismos como vírus e bactérias, especialmente quando o pensamento levado pela emoção entra em sintonia com a onda mental da pandemia; os negócios e as oportunidades de trabalho, os acidentes, os encontros “não marcados”, espíritos amigos ou vampirizadores, e tudo mais que acontece conosco.

Pensar é um ato da consciência, que nem sempre se percebe consciente do pensamento que transita pela mente – nós pensamos, ou somos pensados.

As infiltrações de pensamentos alheios à nossa vontade são frequentes em nosso campo mental. Por vezes nos damos conta disso, outras tantas não nos apercebemos e nosso cérebro ferve processando pensamentos descontrolados, que não temos consciência de onde se originaram. O campo mental coletivo é formado pelo entrelaçamento dos campos mentais individuais.

A mente é, portanto, área vulnerável às influenciações externas requerendo vigilância constante.

O tempo todo nós estamos sendo sugestionados a pensar algo que não é de nossa origem mental, que não surge de nossa consciência, instruídos por algum elemental, ou forma pensamento, criado ou atraído por nós, por alguma ideia instalada em nosso campo mental a partir dos artifícios hipnóticos utilizados pela propaganda, pelas ideologias ou teologias, e por diversos outros métodos utilizados para influenciar nosso comportamento com finalidade de nos manipular, para atender aos mais diversos interesses.

O mecanismo de controle mental se utiliza de técnicas que despertam as emoções imaturas, precedentes dos pensamentos inconscientes, gerando atitudes infantis que ativam comportamentos impulsivos, movendo ações nem sempre saudáveis. A priori, os sistemas de manipulação mental estimulam o instinto a dominar o desejo, anulando o centro de força da vontade pelo estímulo constante das emoções primárias negativas. Medo e raiva são estimulados para desequilibrar as estruturas psicológicas e enfraquecer o centro da vontade, tornando possíveis as mais variadas formas de infiltrações mentais para manipulação e controle do comportamento.

O ser humano assim se convence que é incapaz de pensar e se deixa ser pensado pelos seus líderes e pelos sistemas institucionalizados como fontes de verdades absolutas, aceitando os dogmas que lhe são impostos por esses líderes e sistemas.

Pensamento envolto em emoção carece de lucidez e razão, resultando em atitude, comportamento e ação indesejáveis.

A vontade em ação comanda o desejo, tirando-o do domínio do instinto, enquanto adestrado pelos comandos externos, pelos artifícios dos manipuladores e pelas influenciações diversas no campo mental, aportando em atitudes, comportamentos e ações coerentes com a consciência lúcida.

A auto-observação rigorosa em torno do que se passa no campo das emoções, dos sentimentos e dos pensamentos, trazendo à consciência o que se passa no campo mental, torna possível discernir e escolher os pensamentos que queremos organizar em ideias e transformá-los em atitudes positivas, que serão ativadas em comportamentos movendo as nossas ações para a criação das melhores realidades desejadas.

O autoconhecimento nos propicia lidar com os nossos mecanismos emocionais e mentais da maneira mais positiva, a entender e compreender os sentimentos, favorecendo escolhas e decisões maduras, que repercutirão em felicidade e autor realização.


Leia mais artigos interessantes: