domingo, 6 de março de 2016

Reiki - Mudando nossas vidas e elevando as consciências



Muitas pessoas buscam o Reiki por estarem passando por problemas, das mais variadas formas, quer seja no plano material, ou por algum motivo de saúde, ou de ordem emocional, mental ou espiritual. E nele encontram aquilo que buscavam e não sabiam, que é o encontro consigo mesmas. Esse encontro traz a clareza necessária no momento para compreender os processos de auto sabotagem, as sombras, mas principalmente a essência divina que cada um de nós possui. 

Não torna o praticante um ser de luz, superior, e sim alguém mais humano. 
Em essência todo ser humano busca a mesma coisa e é o que nos torna iguais: evitar o sofrimento. As formas para isso são tão variadas quanto únicas. Cada ser humano tem sua forma própria e particular de evitar o sofrimento criando as tramas de sua própria existência.
E assim, ao longo desse processo, vai criando suas armaduras, cascas, máscaras e muros para se defender de tudo e todos que possam causar o tão temido sofrimento. Isso dá um falso sentimento de proteção. Tudo isso protege do "ruim" mas também protege do " bom”. Nos impede de nos olhar como iguais, e de trocar o calor para nos manter nutridos do amor que necessitamos para nos manter Vivos. Nos desconecta do mundo e de nossa essência, daquilo que verdadeiramente somos.

Nesse ponto o Reiki pode sim mudar nossa vida pois eleva o nosso nível de consciência. Nos traz o entendimento de quanto sofrimento estamos causando para nós mesmos. Por isso digo que o Reiki nos traz Responsabilidade, nos tirando da posição de vítimas dos outros, das circunstâncias ou do sistema.
Outra coisa é inerente a todo ser humano e é a única e definitiva verdade: a morte, a impermanência. E é nisso que o Reiki é fantástico, nos prepara para a vida, e desenvolve a Compaixão. Como disse Dalai Lama, o que mais o surpreende são os homens, pois perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro,
vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido.

Que morreremos um dia, isso é fato. Que sofreremos no momento supremo da partida, isso não posso afirmar. Mas o que posso dizer é que quando mais plena for nossa vida, mais tranquila será nossa partida, não importa em que circunstâncias for. 
Que possamos ter vida plena, e ao longo dessa vida, tenhamos compaixão com todos os seres, sem julgamentos, somente acolhimento, pois o outro carrega em si todo o sofrimento do mundo, que um dia será nosso também.


Compartilhaso de: Regiane Benatti