sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Felicidade, uma simples definição




Conhecemos a felicidade sempre quando conseguimos a satisfação dos nossos desejos e anseios meramente humanos. Essa felicidade é relativa e passageira, assim como é a nossa vida material, simplesmente limitada.


A verdadeira felicidade é espiritual.

Para compreendermos a felicidade eterna, o primeiro passo é ter a consciência da existência Divina, Onipresente, Onisciente e Onipotente, portanto devemos amá-Lo e sentir a Sua Gloriosa e Poderosa Presença em tudo, em todos os momentos e em todos os lugares. Isso ajuda em muito na interação e colher melhores resultados na vida e não esquecendo da Gratidão a Ele por tudo que temos.

Se compreendermos Sua presença entre nós, aprenderemos o valor da vida de maneira simples e especial, resultando na transmutação interior do nosso Ser, cortamos uma corrente negativa e nos ligamos na mesma frequência da vitória sobre nossos inimigos internos.

Passamos a amar a nós mesmos, todos os dias de manhã, ao despertar, afirmando com amor que somos filhos de Deus, criados a Sua imagem e semelhança, ou seja, Seres maravilhosos com potencial infinito, mentalizando que somos importantes, que temos valores, que somos inteligentes, que somos capazes e nada é impossível.

Partimos para realização de tudo aquilo que pensamos e afirmamos, se acharmos importantes, ajamos como tal, se somos inteligentes, trabalhemos para essa realidade, se somos amorosos, ajamos assim em todos os seguimentos da vida, estabelecendo metas e cumprindo com determinação até o fim, nada pode nos bloquear a não ser por nós mesmos, somos a essência de Deus.

Abolimos a energia de rancor dos nossos corações, esse sentimento energético gera o oposto da felicidade.
Não conhecemos pessoas rancorosas felizes, deixemos que Deus faça a Sua justiça, usemos esse tempo para o perdão ao próximo.

Não sejamos invejosos, respeitemos nossos irmãos pelo que tem e pelo que são. A inveja ocupa um espaço e tempo em nós que deveríamos dedicar na nossa formação, simplesmente porque ficamos acorrentado no sentimento da cobiça. O invejoso não evolui porque o amor e o ódio não conseguem viver bem no mesmo Templo de Luz. Não se pode servir a Deus e Mamom, conforme Jesus.

Não devemos nos apropriar daquilo que não nos pertencem, temos aquilo que temos por merecimento, o que for conseguido de maneira ilícita não é abençoado, esses recursos são de almas que ainda não estão preparadas para a evolução.

Respeitar e amar ao próximo, todos são seres criados na natureza. 
Tanto o homem quanto a própria natureza em geral tem direito a vida, respeito e ao amor.

Por último, sejamos simpáticos, observemos em nossa volta o lado bom e valoroso de cada detalhe, pensemos que já somos afortunados pelo que já conquistamos e por essa consciência despertada.