domingo, 27 de novembro de 2016

Uma pergunta


Em uma das minhas peregrinações e diálogos com pessoas sábias, no meio de uma conversa surgiu a seguinte situação;

O Sábio me disse:

Vou lhe fazer uma pergunta e se responder sinceramente você alcançará a Paz interior, mas veja, nós sempre temos respostas que não são nossas. Respondemos muitas perguntas usando respostas dos outras pessoas.
Essas pessoas poder ser ligadas a ciência, religião, cultura, etc.., quase sempre encontram aí suas respostas e quase sempre outros adotam. Por exemplo, se alguém lhe perguntar qual a distância da Terra até a Lua, você pode saber porquê alguém já viu isso, se for referente religião é a mesma coisa. 
O relevante aqui não é a resposta certa ou errada, mas ao responder de maneira meramente repetitiva, nós não alcançamos a verdadeira compreensão do assunto e dessa maneira não há prosperidade, seja intelectual ou espiritual.
Essa pergunta que farei, você pode responder de forma mecânica, simplesmente repetindo o que já ouviu dos outros, mas o adequado é que você mesmo, recolhendo-se ao seu interior, analise a questão e responda partindo da sua essência e esforço pessoal.

A pergunta é:

Para que você vive?

Do livro: Prolegômeros a toda realidade pessoal
(compartilhado do e-mail: malumeko.emails_luz@yahoo.com.br) - Maria Luisa